Indústria avança e tem 7º mês seguido de alta no faturamento

Dados da CNI mostram que em novembro também subiu o uso da capacidade, além de indicadores de emprego

Sandra Mafrini, da Agência Estado,

21 Janeiro 2010 | 11h52

O faturamento real da indústria manteve um ritmo de crescimento em novembro de 2009, registrando uma expansão, com ajuste, de 1,3%, ante outubro do ano passado, informou hoje a Confederação Nacional da Indústria (CNI). O dado acumula sete meses seguidos de expansão. Sem ajuste sazonal, o faturamento real apresentou um recuo de 1,9% na mesma base comparativa.

 

Em relação a novembro de 2008, o faturamento cresceu 8,4%, o que, segundo a CNI, foi decorrente da baixa base de comparação de novembro de 2008. No acumulado de janeiro a novembro de 2009, o faturamento real da indústria ainda apresenta queda de 5,7% ante igual período de 2008.

 

Uso da capacidade em alta

 

A indústria de transformação operou em novembro de 2009 com uso de 81,4% de sua capacidade instalada, em termos ajustados sazonalmente, indicando um crescimento de 0,3 ponto porcentual sobre o nível de 81,1% de outubro. Sem ajuste, o setor fechou novembro de 2009 estável ante outubro com uso 82,7% de sua capacidade instalada

 

"A consolidação da retomada da atividade industrial fica explicitada pelo preenchimento gradual da capacidade instalada do parque industrial: há cinco meses seguidos, a utilização da capacidade instalada registra expansão na comparação com o mês anterior", observou a CNI em nota. De acordo com o documento, o uso da capacidade foi o mais elevado desde outubro de 2008, quando o indicador ficou em 82,4%, segundo o dado sem ajuste.

 

Emprego aquecido

Já o indicador relativo a emprego confirma o cenário de consolidação da retomada da atividade industrial. O índice relativo ao emprego dessazonalizado manteve a trajetória de recuperação em novembro de 2009, crescendo 0,8%, em relação a outubro, a maior taxa de expansão desde março de 2004.

 

Em comparação a novembro de 2008, no entanto, o índice ainda apresenta queda de 2,7%. No acumulado de janeiro a novembro de 2009, o indicador tem queda de 3,4%.

 

As horas trabalhadas na produção industrial registraram um crescimento maior em novembro do ano passado, com uma variação de 2,6%, em comparação a outubro de 2009. Sem o ajuste sazonal, no entanto, o indicador ainda apresenta uma queda de 1,9% no mesmo período de comparação.

 

Em relação a novembro de 2008, as horas trabalhadas de novembro do ano passado também apontam queda de 3,6%. No acumulado do ano (janeiro a novembro de 2009) as horas trabalhadas da indústria tiveram queda de 8,5% em relação a igual período de 2008.

A massa salarial real (descontada a inflação) registrou um crescimento de 8,7% em novembro de 2009 ante o mês anterior e de 1,5% na comparação com novembro de 2008. No acumulado de janeiro a novembro 2009, a massa salarial real registra queda de 1,7%.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.