Indústria bateu recorde de geração de vagas, diz Lupi

O ministro do Trabalho e Emprego, Carlos Lupi, comemorou hoje a geração de 68.920 vagas de trabalho formais na indústria de transformação no mês passado, um recorde histórico do setor para os meses de janeiro. "Com o fim da crise e os estoques baixos, a indústria começou a contratar fortemente. É a demonstração mais forte da recuperação e do crescimento da economia do País, do aquecimento da economia brasileira", disse o ministro, durante entrevista para a divulgação dos dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged).

JACQUELINE FARID, Agencia Estado

18 de fevereiro de 2010 | 11h35

Em janeiro, considerando todos os setores, o País criou 181.419 postos de trabalho. Segundo Lupi, o governo mantém a meta de geração de 2 milhões de empregos formais em 2010. "O resultado de janeiro me faz ter mais certeza do cumprimento dessa meta. Há essa tendência", disse. De acordo com Lupi, a expectativa é de que todos os setores tenham "comportamento muito positivo".

Juros

Lupi disse ainda que um eventual aumento na taxa de juros não vai comprometer a geração de 2 milhões de vagas formais no País em 2010. O ministro também disse ser contra o aumento de juros. "Não vejo necessidade nenhuma de aumentar a taxa de juros. O aumento só favorece quem especula", afirmou Lupi. "Sou a favor de taxas mais baixas possíveis para alimentar o aquecimento da economia."

De acordo com o ministro, "se tiver algum aumento da taxa de juros, para o qual eu trabalho contra e torço para que não tenha, (ele) será muito pequeno." "Não há bolha inflacionária, a inflação está sob controle e, por isso, se houver o aumento será muito pequeno e não influenciará a geração de empregos", afirmou. Lupi disse ainda prever uma taxa de desemprego - medida pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) - de 7,3% a 7,4% em 2010.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.