finanças

E-Investidor: "Você não pode ser refém do seu salário, emprego ou empresa", diz Carol Paiffer

Indústria brasileira cresceu 3,1% ao ano desde 2000, diz BNDES

A indústria brasileira cresceu 3,1% ao ano entre 2000 e 2005, acima da média anual de 2% da América Latina, mas bem abaixo das de 10,6% da Ásia (excluindo Japão) e de 5,9% do Leste Europeu no mesmo período. Os números constam de estudo do economista Fernando Pimentel Puga, assessor da presidência do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES). Puga usou dados do Banco Mundial sobre a produção física da indústria em 64 países.Na América Latina, o maior crescimento industrial ocorreu no Chile e no Peru, ambos com média de 4% ao ano, influenciado pela alta de preços do cobre, produto importante em ambos. O pior desempenho industrial na região foi o do México, com aumento de apenas 0,32% ao ano no período. Puga observou "forte semelhança" entre o comportamento da produção do México e a dos Estados Unidos, cuja média foi de 0,87% ao ano. "De 1995 a 2000, quando a indústria mexicana cresceu 7,3% ao ano, a americana se expandiu 5,0% ao ano", registrou o economista destacou, no boletim "Visão do Desenvolvimento", publicado pelo BNDES. Nos países desenvolvidos, o crescimento médio anual da indústria foi de apenas 0,6% de 2000 a 2005.Puga comentou que o Brasil, ao contrário dos países dos Leste Europeu, não se beneficia da proximidade de países desenvolvidos que facilite a entrada de investimento estrangeiro direto - fator determinante para a expansão industrial naqueles países. Também considera que o Brasil também não foi tão favorecido pela alta de preços de commodities quanto o Chile.Porém, com base nos resultados da indústria chinesa (que cresceu 14,2% ao ano em média), o economista recomenda para o Brasil: apoio a investimentos em infra-estrutura; melhoria no sistema tributário; eliminação de entraves na burocracia e estímulos ao investimento e à absorção ou ao desenvolvimento de tecnologias. Esses, considera, "são importantes elementos na implementação de um processo de emparelhamento do Brasil com os países desenvolvidos".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.