Indústria brasileira de fundos de investimento já é 10ª mundial

Com patrimônio líquido já perto de R$ 900 bilhões (R$ 872 bilhões no final do mês passado) a indústria brasileira de fundos de investimento já é a décima maior do mundo, segundo levantamento realizado pela Comissão de Valores Mobiliários (CVM) em pesquisa junto a 42 países.O resultado foi revelado nesta quarta-feira pelo superintendente de Relações com Investidores Institucionais da CVM Carlos Eduardo Sussekind, em palestra na Câmara de Comércio Americana, no Rio "Esse é um ativo muito importante no Brasil que devemos preservar. São raros os países emergentes com uma estrutura de fundos semelhante à nossa", disse.Na opinião de Sussekind, o forte desenvolvimento da indústria reflete a confiança do investidor brasileiro no segmento. Ele comparou a situação brasileira com a da Argentina, onde a indústria é muito incipiente.O superintendente adiantou também que a CVM poderá permitir que os fundos de investimentos brasileiros invistam mais do que 10% do patrimônio líquido no exterior. Esse era o teto inicial proposto pela autarquia no processo de mudança da Instrução n.º 409, mas Sussekind disse nesta quarta que o limite deverá ficar acima disso.Ele observou que a revisão da Instrução, que seria concluída ainda nesta quarta, pode permitir um volume maior de aplicações no exterior. "Conversamos com outras áreas do governo e a tendência é de que o limite fique acima dos 10% previstos inicialmente", comentou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.