Indústria corta 32,5 mil vagas e tem pior janeiro desde 2006

Nível de emprego na indústria paulista caiu pelo quarto mês consecutivo, segundo dados da Fiesp

Anne Warth, da Agência Estado,

13 de fevereiro de 2009 | 11h33

O nível de emprego na indústria paulista caiu pelo quarto mês consecutivo em janeiro, segundo dados divulgados nesta sexta-feira, 13, pela Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp). O resultado com ajuste sazonal registrou queda de 1,86% em janeiro, ante dezembro. Sem o ajuste sazonal, o emprego recuou 1,34%, na comparação com dezembro, o que resultou no fechamento de 32.500 vagas, que se somaram às 130 mil vagas eliminadas em dezembro.  Veja também: Toyota lança programa de demissão para 25 mil funcionários PIB da zona do euro tem queda recorde GM oferece incentivos para aposentadoria a 22 mil funcionários De olho nos sintomas da crise econômica  Dicionário da crise Lições de 29Como o mundo reage à crise As medidas do emprego  Na comparação com janeiro de 2008, também houve queda de 2,22%. Ambos os resultados - com ou sem ajuste sazonal - foram os piores para meses de janeiro desde 2006, na série histórica disponibilizada pela entidade. Por mudança de metodologia, a pesquisa passou a partir deste mês a avaliar 22 setores industriais, ao invés dos tradicionais 21. Desse grupo de 22, 19 demitiram, dois contrataram e um manteve o nível de emprego estável. A confiança dos empresários da indústria paulista melhorou na primeira quinzena de fevereiro. O índice Sensor, medido pela Fiesp, ficou em 41,4 pontos nos 15 primeiros dias de fevereiro, ante 38,7 pontos na segunda quinzena de janeiro.  Embora resultados abaixo dos 50 pontos sejam considerados fracos, houve melhora considerável em dois dos itens que compõem o indicador: mercado, que registrou 49,8 pontos e voltou a se aproximar dos 50 pontos, dos quais estava distante desde novembro (em outubro, o item estava em 53 pontos); e investimentos, que alcançou 47 pontos, ante 38,9 pontos na segunda quinzena de janeiro. Três itens permanecem com resultados mais baixos: vendas ficou em 35,5 pontos; estoque, 32 pontos; e emprego, 42,6 pontos.  Texto ampliado às 15h35

Tudo o que sabemos sobre:
Empregoindústria

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.