finanças

E-Investidor: "Você não pode ser refém do seu salário, emprego ou empresa", diz Carol Paiffer

Indústria cresce em 13 das 14 regiões pesquisadas

Os indicadores regionais da indústria mostraram crescimento da produção em 13 dos 14 locais pesquisados, em maio deste ano ante maio de 2004, segundo divulgou esta manhã o IBGE. Amazonas (24,6%), Paraná (13,5%), Ceará (7,2%), São Paulo (6,3%) e Minas Gerais (5,5%) alcançaram taxas de crescimento acima da média nacional (5,5%) nessa base de comparação, enquanto Pará (4,4%), Santa Catarina (3,5%), Espírito Santo (2,2%), Nordeste (1,9%), Rio de Janeiro (1,5%), Goiás (1,4%), Pernambuco (0,9%) e Bahia (0,4%) ficaram abaixo da média. O Rio Grande do Sul (-2,4%) registrou seu quinto resultado negativo consecutivo. Para essa pesquisa, não há dados comparativos com o mês anterior. No acumulado de janeiro a maio, todos os locais - também com exceção do Rio Grande do Sul - apontaram crescimento.São PauloEm maio, todos os indicadores da indústria de São Paulo foram positivos, segundo divulgou o IBGE. Houve crescimento de 6,3% na produção ante igual mês do ano passado; de 5,8% no acumulado no ano até maio e de 10,1% em 12 meses. Para essa pesquisa, não há dados comparativos a mês anterior. O aumento de 6,3% ante igual mês de ano anterior foi o 19º resultado positivo consecutivo, com 14 das 20 atividades pesquisadas contribuindo positivamente para a formação da taxa geral. Os principais destaques, em termos de participação, foram edição e impressão (26,8%), máquinas e equipamentos (12,9%) e refino de petróleo e produção de álcool (11,1%). Do lado negativo, destacaram-se material eletrônico e equipamentos de comunicações (-4,9%), têxtil (-4,1%) e minerais não-metálicos (-3,0%). No indicador acumulado no ano (5,8%), 17 ramos tiveram influência positiva, sendo que as contribuições de farmacêutica (26,1%), máquinas e equipamentos (12,7%) e edição e impressão (17,0%) foram as principais.

Agencia Estado,

12 de julho de 2005 | 09h46

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.