Indústria crescerá menos com juro maior, diz entidade do setor elétrico

O presidente da Associação Brasileira da Indústria de Elétrica e Eletrônica (Abinee), Carlos de Paiva Lopes, criticou a alta dos juros, de 25% para 26,5%, e a elevação do depósito compulsório sobre os depósitos à vista, de 45% para 60%, medidas tomadas hoje pelo Banco Central. "É uma situação muito ruim porque tira ativos do mercado e a indústria sofre com isso", disse. Segundo ele, se a alíquota do compulsório e os juros básicos continuarem altos nos próximos meses, a entidade terá que rever, para baixo, a previsão de crescimento de 10% neste ano ante 2002 (R$ 56 bilhões). "Essas duas medidas vão segurar o desenvolvimento econômico do País", disse.Sobre a alta da Selic, o empresário disse que a razão do aumento não foi a inflação, porque "não há inflação de demanda". "Pelo contrário, o mercado está desaquecido", disse.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.