Indústria da China cresce pelo 8º mês consecutivo

A atividade manufatureira da China continuou em expansão no mês passado, com o aumento nas encomendas domésticas e do exterior, ao passo que a economia continua a se recuperar, de acordo com dados da Federação de Logística e Compra da China (CFLP, na sigla em inglês) divulgados hoje. O índice dos gerentes de compra (PMI, na sigla em inglês) oficial do país subiu de 54,3 em setembro para 55,2 em outubro - se mantendo acima de 50 pelo oitavo mês consecutivo. Uma leitura do PMI acima desse patamar indica crescimento, enquanto que uma leitura abaixo indica contração.

FABIANA HOLTZ, Agencia Estado

01 de novembro de 2009 | 18h21

"As taxas de crescimento econômico provavelmente irão permanecer altas", disse Zhang Liqun, analista que comenta os resultados do PMI em nome do governo."O crescimento econômico do quarto trimestre provavelmente será em torno de 9,5%", afirmou em comunicado da Federação. Se confirmada, a performance deve marcar o terceiro trimestre consecutivo de aceleração do crescimento econômico na China, e coincide com o crescente otimismo do governo sobre a economia.

Durante julho e setembro, o Produto Interno Bruto (PIB) chinês apresentou expansão de 8,9% em relação ao mesmo período do ano anterior, ante crescimento de 7,9% apurado no segundo trimestre e de 6,1% registrado no primeiro, sob a influência do governo nos gastos públicos e direcionou os bancos a emprestar uma quantidade astronômica de dinheiro. A demanda doméstica teve uma aceleração maior devido ao crescimento no componente das encomendas de importações no PMI, enquanto que as exportações de bens processados ou montados na China estão provavelmente se recuperando devido ao crescimento do componente de ordens de exportação no indicador, disse Zhang.

O componente de novos pedidos de exportação cresceu de 53,3 em setembro para 54,5 em outubro - em linha com uma marcada melhora nos dados de exportação de setembro - enquanto que o componente de importação cresceu de 50,7 para 52,8. O indicador de novos pedidos passou de 56,8 para 58,5 na mesma base de comparação. Mesmo diante da contínua recuperação do setor manufatureiro e com o governo já indicando que agora já leva em consideração os riscos de inflação em suas decisões, analistas dizem que uma mudança repentina na política pró-crescimento da China é improvável nas próximas semanas.

Das 11 categorias que compõem o índice, sete subiram e quatro caíram em outubro ante setembro. O governo de Pequim está particularmente preocupado em garantir que as pessoas encontrem empregos. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
Chinaindústriaprodução

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.