Indústria dá sinal de retorno dos investimentos

A indústria brasileira se prepara para pisar no acelerador. Pela primeira vez desde a eclosão da crise financeira global, há exatamente um ano, fabricantes de máquinas vêm registrando aumento de consultas de indústrias interessadas em comprar equipamentos mais modernos. "Vínhamos num marasmo até julho, mas em agosto o quadro mudou", afirma o diretor secretário da Associação Brasileira da Indústria de Máquinas e Equipamentos (Abimaq), Carlos Pastoriza. Nos últimos dois meses, 35 mil pessoas acessaram o site da entidade para obter informações sobre financiamento para compra de máquinas. É quase o mesmo número registrado em todo o ano de 2008, que teve 37 mil acessos.

AE, Agencia Estado

14 de setembro de 2009 | 08h28

A recuperação que começa a ser sentida agora não vai evitar que a indústria feche o ano com uma grande queda em relação a 2008. As projeções são de uma retração entre 7% e 9%, enquanto já há quase consenso de que o Produto Interno Bruto (PIB) deve fechar o ano com um pequeno crescimento. Para 2010, no entanto, já há projeções de alta de até 12,5%, para um PIB com alta em torno de 5%. A mudança atual de cenário é nítida nas máquinas pesadas, como tornos e prensas, usadas por montadoras, fabricantes de eletrodomésticos e de equipamentos para petróleo. O aumento de pedidos de orçamento para aquisição de equipamentos também ocorre nos setores de saneamento e têxtil.

A renovação das máquinas, desencadeada pelo reaquecimento da economia e pela facilidade de crédito oferecida pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) a partir de julho, é a primeira pista de que o investimento começa a voltar lentamente e pode mudar a rota de queda registrada no primeiro semestre. Mas os investimentos mais fortes, em novas fábricas, por exemplo, só são esperados mesmo para o ano que vem. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Tudo o que sabemos sobre:
criseindústriamáquinas

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.