carteira

As ações mais recomendadas para dezembro, segundo 10 corretoras

Indústria de cimento descarta recuperação em 2004

A queda no volume de despachos da indústria cimenteira no primeiro trimestre pode indicar que a retomada dos negócios do setor foi postergada, no mínimo, para o segundo semestre. No ano passado, o consumo de cimento no País caiu 11,04% em relação a 2002 e os resultados verificados nos três primeiros meses deste ano afastaram qualquer expectativa de retomada no curto prazo. "Devemos encerrar o ano no zero a zero, com os mesmos níveis de 2003", afirma o secretário-executivo do Sindicato Nacional da Indústria do Cimento (Snic), José Otávio Carvalho.De acordo com estimativas do Snic, a retração nos despachos de cimento entre janeiro e março deve chegar a 2,15% em comparação as 8,164 milhões de toneladas despachadas no mesmo período do ano passado. Em termos de produção, contudo, a queda deve ser superior. Nos dois primeiros meses do ano, foram produzidas 5,061 milhões de toneladas do insumo, 7,9% menos que o total produzido no mesmo período de 2003.Ainda assim, as projeções são de que o setor recupere, de julho a dezembro, a queda de consumo que deve ser verificada no primeiro semestre. Como o cimento é um dos indicadores mais importantes da atividade de construção civil, o sindicato alerta para um provável encolhimento do produto interno da construção também no primeiro trimestre.

Agencia Estado,

13 de abril de 2004 | 00h07

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.