Indústria de transformação normaliza produção

A Sondagem Conjuntural da Indústria de Transformação realizada de 15 de dezembro a 30 de janeiro pela Fundação Getúlio Vargas constatou uma melhora em todos os indicadores da indústria. Segundo pesquisa feita com 1.285 empresas, o nível da produção começa a se normalizar depois de ter passado por um período crítico no segundo semestre do ano passado. De uma maneira geral, as previsões feitas para o primeiro trimestre deste ano indicam que haverá aumento de produção, de demanda e de emprego - este último indicador atípico para esta época do ano - , uma diminuição sazonal de compras e uma menor pressão nos preços.Segundo o coordenador da pesquisa, Salomão Quadros, "o indicador mais extraordinário" foi a disposição das empresas de contratar neste período. Ele explicou que a indústria pode ter demitido mais do que o necessário no ano passado e começa a corrigir o seu quadro de pessoal. Ele destacou ainda que começa a se inverter o fenômeno de substituição das importações verificado especialmente a partir de outubro do ano passado devido à alta do dólar. O número de empresas que está reduzindo importações já começa a diminuir, o que, por outro lado, poderá representar alguma dificuldade para um resultado superavitário da balança comercial. "A situação dos negócios da indústria de maneira geral ainda não é boa, mas é bem melhor que no segundo semestre de 2001. Inclusive, com relação ao uso da capacidade instalada e ao nível dos estoques", disse Quadros. A indústria de bens duráveis, que tinha apresentado a maior queda no ano passado e estoques excessivos, já está com o nível de estoque normalizado, com algumas empresas começando a recompor estoques devido ao aumento da demanda.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.