Indústria demite 59 mil trabalhadores em setembro

Na comparação com o mesmo mês de 2013, o setor eliminou 238 mil vagas, segundo o IBGE

Daniela Amorim, O Estado de S. Paulo

23 de outubro de 2014 | 09h52

A indústria dispensou 59 mil trabalhadores na passagem de agosto para setembro, uma queda de 1,7% no número de ocupados no setor, segundo dados da Pesquisa Mensal de Emprego, divulgada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Na comparação com setembro de 2013, foram eliminadas 238 mil vagas, o equivalente a um recuo de 6,4% no número de empregados.

A construção também enxugou o número de ocupados em setembro ante agosto, uma queda de 3,5%, o equivalente a 63 mil empregados a menos. Em relação a setembro de 2013, o recuo foi de 4,4%, com a eliminação de 81 mil vagas.

O comércio demitiu cinco mil trabalhadores em setembro ante agosto, ligeira redução de 0,1% no total de ocupados. No entanto, contratou 22 mil pessoas na comparação com setembro do ano passado, alta de 0,5%.

Os serviços prestados a empresas tiveram aumento de 0,2% no contingente de trabalhadores de agosto para setembro, com a criação de nove mil vagas. Em relação a setembro de 2013, a alta foi de 1,9%, com 73 mil empregados a mais.

Na educação, saúde e administração pública, o número de ocupados aumentou 0,6% ante agosto, devido à entrada de 23 mil ocupados no setor. Na comparação com setembro do ano passado, o número de ocupados foi considerado estável, devido à abertura de apenas mil vagas.

Nos serviços domésticos, o contingente de ocupados aumentou 3,4% em setembro ante agosto, 46 mil trabalhadores a mais. Ante setembro de 2013, ainda houve queda de 0,3%, devido à saída de cinco mil empregados do setor.

Na atividade de outros serviços, aumentou em 0,4% o número de trabalhadores em setembro ante agosto, 19 mil pessoas a mais. Em relação a setembro do ano passado, o aumento alcançou 3,3%, com 140 mil novos postos de trabalho no segmento.

Tudo o que sabemos sobre:
indústriaempregodemissões

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.