Indústria deve crescer 2% neste ano, diz Ipea

As projeções para o desempenho da produção industrial neste ano indicam umarecuperação gradual e modesta, com crescimento acumulado em torno de 2% no final do período. Para o coordenador do Grupo de Acompanhamento Conjuntural do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada(Ipea), Paulo Levy, a produção industrial brasileira será marcada neste ano pela continuidade da?recuperação gradual? que vem sendo registrada desde novembro do ano passado.Ele ainda não fechou as estimativas numéricas para o desempenho da indústria neste ano, mas acreditaque os resultados do primeiro trimestre serão ainda prejudicados pelas elevadas bases de comparação do ano anterior, mas, já no segundo trimestre, haverá um crescimento ?positivo e mais vigoroso? da produção.Para o economista-sênior do Citibank, Robério Costa, a produção industrial brasileira deve registrarexpansão de 1,9% em 2002. Ele espera uma ?expansão moderada, sem muito fôlego? para o ano, quedeve ser ?homogêneo e com crescimento fraco? nos dois semestres.O BBV Banco prevê um crescimento da produção em torno de 2%, ligeiramente superior ao do anopassado ?por conta das perspectivas ainda pouco animadoras do mercado de trabalho e da economia dasfamílias?. O número do banco está próximo ao estimado pela analista econômica da Tendências Consultoria,Marcela Prada.Para ela, o ano será de continuidade da recuperação da produção industrial que vem sendo registradadesde novembro, quando houve o primeiro resultado positivo (1,6%) ante mês anterior, após oito mesesconsecutivos sem crescimento. Marcela acredita que nos primeiros meses do ano os resultados ante iguaisperíodos de 2001 serão prejudicados por bases de comparação elevadas e, além disso, pelas condiçõesde crédito ainda desfavoráveis pela manutenção das taxas de juros elevadas.Os economistas foram unânimes em avaliar como ?bom? o crescimento de 1,5% da indústria em 2001,com o argumento de que o cenário enfrentado pelas empresas era bastante adverso. Levy considerou "bom" odesempenho da produção no ano passado ?dada a magnitude dos choques? ocorridos e considera omais importante nos resultados divulgados pelo IBGE o fato de ter ocorrido pelo segundo mês consecutivouma expansão na produção ante mês anterior. ?Aparentemente o dado revela uma recuperação daprodução?, avalia.Para o economista do Citibank, o desempenho da indústria no ano passado foi ?modesto e compatívelcom a taxa de juros real? não surpreendendo as estimativas do banco. Já para o BBV o resultado ?superouas estimativas de estagnação e até de queda feitas no início do racionamento de energia, em junho do anopassado?.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.