Indústria do RJ registra retração de 8,49%, aponta Firjan

As vendas reais na indústria fluminense em junho apontam retração de 8,49% em relação a maio deste ano. A informação foi divulgada hoje pela Federação das Indústrias do Estado do Rio de Janeiro (Firjan). O resultado com ajuste sazonal, no mesmo período, também apresentou queda de 7,4%. Para a instituição, o resultado aponta para desaceleração na atividade industrial da região. Na comparação com junho do ano passado, as vendas reais da indústria caíram 12,6%. Porém, nos primeiros seis meses do ano, as vendas da indústria tiveram alta de 7,5%. O pessoal ocupado na indústria caiu 0,26% em junho em comparação com maio, e queda de 3% ante junho do ano passado. No semestre, a queda de pessoal ocupado é de 2,42%. Quanto a horas trabalhadas, houve queda de 1,4% sobre maio e retração de 8% no semestre, sobre o mesmo período de 2002. Por sua vez, a utilização da capacidade instalada passou de 81,0% para 79,7% entre maio e junho, ao mesmo tempo em que indicou estabilidade na série ajustada. A massa real de salários da indústria caiu 0,5% em junho, na comparação com o mês anterior. Houve queda de 2,5% no na comparação com junho de 2002. No período de seis meses de 2003, a pesquisa mostrou redução de 5,7% da massa salarial frente a 2002. A Firjan reconhece que, no curto prazo, o quadro no Rio de Janeiro é "de atividade industrial baixa". Porém, na avaliação da instituição, há perspectivas positivas no horizonte, devido à redução gradual das taxas de juros, que tende a gerar melhora das expectativas e favorecer a recuperação do crédito. "Desta forma, espera-se o início de uma retomada da atividade nos últimos meses do ano", informa a instituição.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.