finanças

E-Investidor: "Você não pode ser refém do seu salário, emprego ou empresa", diz Carol Paiffer

Indústria espera que outros bancos sigam mudanças

A indústria da construção comemorou a decisão da Caixa Econômica Federal de ampliar o prazo máximo de seus financiamentos de 20 para 30 anos. Segundo dirigentes do setor, além de ser um estímulo ao aumento da demanda, já que a Caixa é o maior financiador imobiliário do País, a decisão deverá desencadear movimentos de outros bancos no mesmo sentido. Eles lembram que a concorrência no segmento de crédito imobiliário é cada vez mais mais acirrada.''''Essa competição é muito interessante e saudável sob todos os aspectos, porque está sendo feita com segurança, em cima de um marco regulatório bastante estudado e transparente'''', disse Paulo Simão, presidente da Câmara Brasileira da Indústria da Construção.Na avaliação de Romeu Chap Chap, presidente do Sindicato da Habitação de São Paulo (Secovi), as medidas da Caixa vão ser logo seguidas por outros bancos. ''''Vão estimular a competição no mercado pelo público de classe média, o que é muito bom.'''' Ele observou que há bancos já oferecendo prazos de 25 anos. ''''Elevar para 30 anos favorece o mercado, pois o desafio é fazer a prestação caber no bolso do consumidor.''''Para Ivan Piffer, gerente financeiro da incorporadora Rossi, a Caixa inaugurou um novo momento do financiamento imobiliário no País, principalmente para a faixa da população com renda mensal de até R$ 5 mil. ''''Para esse segmento da população, a redução no valor da prestação fará muita diferença'''', disse o executivo,referindo-se aos financiamentos de imóveis de até R$ 150 mil.

Marcelo Rehder e Vera Dantas, O Estadao de S.Paulo

07 de agosto de 2029 | 00h00

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.