Renda extra

Fabrizio Gueratto: 8 maneiras de ganhar até R$ 4 mil por mês

Indústria está otimista, aponta pesquisa da FGV

Empresas ouvidas dizem que vão contratar mais e ampliar faturamento no ano que vem na comparação com 2010

Alessandra Saraiva / RIO, O Estado de S.Paulo

21 de dezembro de 2010 | 00h00

Puxada por um otimismo quanto à procura por bens duráveis, como automóveis e geladeiras, as intenções de novas contratações na indústria da transformação para 2011 são as melhores em cinco anos, segundo informou ontem a Fundação Getúlio Vargas (FGV) ao anunciar a Sondagem de Investimentos da Indústria da Transformação.

Das 829 empresas pesquisadas entre outubro e novembro, 43% informaram que vão elevar o contingente de pessoal ocupado no ano que vem, em comparação com o este ano. Este porcentual foi superior ao de 2009, para a mesma resposta (40%), e só não foi superior ao de 2005 (46%).

O levantamento apurou ainda que 55% das empresas pesquisadas pretendem investir mais no ano que vem, o maior porcentual para esta resposta da série histórica da pesquisa, iniciada em 2005 e superior à registrada no ano passado (48%). O faturamento da indústria também deve crescer, na avaliação dos empresários: 72% acreditam em crescimento nas vendas do ano que vem, ante 69%, para esta mesma resposta em 2009.

Aquecida. Para a FGV, as projeções da indústria da transformação pode ser comparadas com as registradas em 2007 para o ano de 2008, ano em que a economia brasileira estava bastante aquecida.

Na avaliação do coordenador de Sondagens Conjunturais do Instituto Brasileiro de Economia da FGV (Ibre/FGV), Aloisio Campelo, a indústria de bens duráveis está otimista com o atual aquecimento no mercado interno , bem como confiante na trajetória de continuidade no crescimento: "Podemos dizer que a indústria de bens duráveis está bem otimista."

Um dos segmentos que está puxando as boas perspectivas, dentro de duráveis, é o de material de transportes, no qual está inserida a cadeia automotiva. Na indústria de material de transporte, 74% das companhias pesquisadas estimam alta de faturamento em 2011 ante 2010.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.