Indústria europeia apresenta protótipos de carro seguro

Projeto HAVEit prevê a produção de veículos que avisam sobre perigos e até param ou desviam de obstáculos

Cleide Silva, O Estado de S.Paulo

22 de junho de 2011 | 00h00

ENVIADA ESPECIAL

GOTEMBURGO, SUÉCIA

Após três anos e meio de pesquisas e desenvolvimento, um grupo de 17 empresas e universidades europeias, entre as quais Volvo, Volkswagen e Continental, apresentaram ontem, na Suécia, sete veículos conceito equipados com tecnologias cujo principal objetivo é salvar vidas no trânsito.

Resultado de um projeto denominado HAVEit (abreviatura para a frase em inglês Highly Automated Vehicles for Intelligent Transport), criado pela União Europeia, as novas tecnologias só devem ser adotadas integralmente nos automóveis, caminhões e ônibus num período de cinco a dez anos, mas mostram que os motoristas cada vez mais terão ajuda de máquinas para evitar acidentes.

No futuro, os veículos terão câmaras para monitorar outros veículos que trafegam pelas estradas, obstáculos e o próprio motorista, que será alertado caso se distraia ao volante. O condutor será informado da iminência de acidentes e, se não for capaz de reagir, o veículo tomará a iniciativa de parar ou desviar do obstáculo.

"A ideia não é substituir o papel do motorista, mas assisti-lo e ajuda-lo", disse Francisco Ferreira, diretor da Comissão Europeia para a área de transportes. Segundo estudos do grupo, 90% dos acidentes ocorrem por falha humana.

As novas tecnologias foram testadas em quatro automóveis, dois caminhões e um ônibus, e inclui também melhor uso dos veículos híbridos, numa junção entre benefícios para a segurança e o meio ambiente.

Mais capacidade. Após reunir-se ontem com a direção mundial da Volvo em Gotemburgo, sede do grupo sueco, o presidente da empresa na América do Sul, Roger Alm, confirmou um investimento extra de R$ 80 milhões para a ampliação da capacidade produtiva da fábrica de caminhões e ônibus de Curitiba (PR).

O projeto estava em estudo há vários meses e foi aprovado uma semana após o anúncio de que a unidade brasileira será responsável pela produção de ônibus híbridos. No início do ano, a Volvo também havia informado que vai nacionalizar a produção de caixas de câmbio automáticas e construir um centro de logística. Juntos, esses projetos vão consumir cerca de R$ 200 milhões até o fim de 2012.

"Estamos nos preparando para o futuro", disse Alm, que aposta na continuidade do crescimento do mercado brasileiro.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.