Ações

Empresas de Eike disparam na bolsa após fim de recuperação judicial da OSX

Indústria fará pressão por reformas, diz Fiesp

Os representantes da indústria paulista farão pressão sobre o Executivo e o Legislativo para conseguir a aprovação das reformas e tambéma melhora da competitividade das empresas nacionais, durante o novo governo do presidente eleito Luiz Inácio Lula da Silva, disse hoje o presidente da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), Horacio Lafer Piva. "Vamos continuar com a nossa postura de pressão sobre o poder e não de adesão ao poder", disse. "Pressão é democracia, e o governo reage à pressão",justificou. Segundo ele, não existe "qualquer intenção ou prepotência de hegemonia" da indústria nesse trabalho de pressão. Piva avaliou que o setor é muito dinâmico e que tem "pensado de maneira muito obsessiva esse tema do crescimento". ?Temos que manter 2 milhões de postos de trabalho formais, temos a responsabilidade de exportar, de arrecadar dólares, de pagar impostos aqui. Por isso, é preciso encontrar um ambiente que mantenha o Brasil em condições de competitividade no mundo todo", afirmou Piva, na abertura do seminário Ambiente Institucional e Reformas, promovido pela Fiesp na sede da entidade.

Agencia Estado,

19 de novembro de 2002 | 11h36

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.