Indústria gera 40 mil empregos em novembro pela 1ª vez

Setor de transformação teve comportamento atípico e criou vagas em ritmo nunca visto desde 1999

Sílvio Crespo, do estadao.com.br,

16 de dezembro de 2009 | 12h40

A indústria de transformação, setor mais afetado no Brasil pela crise econômica internacional, teve um comportamento atípico em novembro deste ano: gerou 39,6 mil empregos formais em um mês em que costuma fechar cerca de 20 mil postos de trabalho, observa Thaís Marzola Zara, economista-chefe da Rosenberg & Associados.

 

Foi o melhor novembro do setor desde 1999, quando o Ministério do Trabalho começou a levantar esses dados. Até agora, o resultado mais robusto para um nono mês do ano havia sido registrado em 2004, com a geração de 8.008 vagas, bem abaixo das quase 40 mil deste ano.

 

O resultado excepcionalmente positivo da indústria levou o País a gerar, somando todos os setores, 246.695 postos de trabalho em novembro de 2009. Os dados são do Ministério do Trabalho.

 

“O mercado de trabalho acabou reagindo muito melhor do que a gente esperava. Chama atenção a criação de vagas na indústria de transformação, que foi o setor que mais sofreu (com a crise) e normalmente é negativo em novembro”, avalia Zara.

 

A indústria costuma ter geração de empregos em setembro e outubro, na produção para o Natal. Em novembro e dezembro, ao contrário, o setor demite, enquanto o comércio contrata.

 

“Normalmente, há uma queda em torno de 300 mil (empregos formais em todos os setores) em dezembro, mas mesmo se isso acontecer ficaremos acima de 1 milhão (de postos de trabalho formais criados) no ano”, afirma Zara.

 

Para ela, os dados mostram que “estamos em processo de recuperação frente à crise” e que “2010 vai ser um ano bom para a atividade no Brasil”.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.