'Indústria paga mal sua matéria-prima'

É possível reter talentos nesta área?

Entrevista com

O Estado de S.Paulo

24 de junho de 2012 | 03h12

Falam muito do atendimento do operador, que ele tem vícios de gerúndio etc. Mas se esquecem de ver como é a remuneração dele. Um operador ganha hoje quase o salário mínimo (R$ 622). A indústria remunera muito mal a sua matéria-prima mais importante. Dificilmente esses profissionais ficam na empresa.

Por que eles ganham mal?

Não é culpa do call center, mas das empresas que contratam o serviço, que querem pagar pouco, o que nos inviabiliza de oferecer um salário melhor.

Não há plano de carreira?

Quando ganhamos uma concorrência, fechamos um valor fixo. Não dá para aumentar o salário do operador ou dar promoções porque o cliente não vai pagar.

Mas alguns profissionais conseguem fazer carreira...

Quem fica por mais tempo acaba ganhando posições. Mas as promoções são pequenas dada a proporção de pessoas que trabalham no setor.

O setor emprega muita gente...

É o setor que mais emprega mão de obra não qualificada e, em contrapartida, paga mal.

Que conselho o senhor daria para quem começou agora na função de operador?

Que estude e que invista para melhorar de vida. E, se tiver alguma alternativa que pague mais, que opte por ela.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.