MÁRCIO FERNANDES/ESTADÃO
MÁRCIO FERNANDES/ESTADÃO

Indústria paulista corta 16,5 mil empregos em junho e 57,5 mil no ano

Segundo a Fiesp, o ano de 2016 no mercado de trabalho é 'a continuidade de uma tragédia' e deve perder 165 mil vagas no total

Francisco Carlos de Assis, O Estado de S.Paulo

15 Julho 2016 | 11h45

SÃO PAULO - A indústria paulista demitiu 16,5 mil trabalhadores em junho. Com o fechamento destas vagas, o nível de emprego caiu 0,73% em junho em relação a maio, descontados os efeitos sazonais. No ano, a diminuição dos postos de trabalho foi de 2,5%, com um total de 57,5 mil demissões. Na comparação com junho de 2015, houve recuo de 9,29%, a 57ª queda mensal consecutiva na comparação interanual.

Os números compõem o Indicador de Nível de Emprego da Indústria Paulista, divulgado nesta sexta-feira pelo Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos (Depecon), da Federação e do Centro das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp e Ciesp).

A expectativa do diretor do Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos da Fiesp e do Ciesp (Depecon), Paulo Francini, aponta para o fechamento de 165 mil vagas neste ano. Dos 22 setores pesquisados, 20 registraram queda no índice de emprego em junho, um contratou e um manteve-se estável na comparação com maio. 

Segundo Francini, o ano de 2016 no mercado de trabalho é "a continuidade de uma tragédia", apesar de o segundo trimestre deste ano ter sido um pouco melhor do que no ano passado. "Se somarmos, temos 400 mil empregos a menos, oito estádios de futebol cheios. Existem sinais de que o ritmo de queda vai se atenuar, mas o emprego é a última variável a parar de cair. Torcemos e temos esperança de que isso aconteça", afirma Francini.

O setor de informática foi o único a contratar, elevando em 2,16% o seu nível de emprego. O setor de Produtos Farmoquímicos Farmacêuticos se manteve estável (0,03%). Os setores que se destacaram negativamente em relação ao nível de emprego foram Máquinas e Equipamentos (-3.112 postos); Confecção de Artigos do vestuário e Acessórios (-3.092 postos); e Couro e Calçados (-2.348 postos)

Das 36 diretorias regionais, 31 tiveram variação negativa no índice de emprego em junho, 3 ficaram estáveis, e 2 contrataram mais do que demitiram.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.