Indústria paulista cresce, mas não tanto quanto em 2004

As exportações da indústria paulista cresceram 17,9% em janeiro, na comparação com o primeiro mês de 2005. Em fevereiro, a alta foi de 15% na mesma base de comparação. Os dados, divulgados nesta segunda-feira pelo Centro das Indústrias do Estado de São Paulo (Ciesp), mostram que, apesar de positivos, os crescimentos são inferiores aos mesmos meses de 2005 sobre 2004. Em janeiro do ano passado, as exportações haviam crescido 44,5% ante o mesmo mês de 2004. Em fevereiro, a alta foi de 44,3% sobre fevereiro de 2004. "Claramente, as exportações estão deixando de ser o motor da indústria", comenta o diretor de Economia do Ciesp, Boris Tabacof, ressaltando que o câmbio é também o principal fator para a retração do número de pequenas empresas na pauta exportadora do País. Dados divulgados pelo Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (Mdic) mostram que no primeiro bimestre deste ano, 596 empresas saíram do mercado externo, o que, na avaliação dos empresários, resulta do baixo custo do dólar em relação ao real. A desaceleração das exportações industriais paulistas, na verdade, já era registrada de forma evidente desde meados do ano passado. Em julho de 2005, por exemplo, as vendas externas haviam crescido 13,8% ante o mesmo mês de 2004. Mas em julho de 2004, a alta fora de 45,2% sobre julho de 2003. O ritmo de crescimento também recuou em agosto, setembro e outubro. E em novembro, a desaceleração mostrou-se ainda mais acentuada. O aumento das vendas externas caiu de 41,5% (novembro de 2004 sobre novembro de 2003) para 30,2% em novembro de 2005 ante novembro de 2004. Em dezembro, novo recuo acentuado: alta de 15,8% sobre dezembro de 2004, depois de um aumento de 22,1% em dezembro de 2004 sobre dezembro de 2003.

Agencia Estado,

10 Abril 2006 | 16h05

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.