Indústria paulista criou 2.004 empregos em janeiro

A pesquisa mensal do nível de emprego da indústria paulista, organizada pelo Centro das Indústrias do Estado de São Paulo (Ciesp), apontou alta de 0,10% em janeiro de 2007, ante dezembro de 2006, o que significa em números absolutos a criação de 2.004 postos de trabalho.Embora o resultado seja bastante tímido, já é melhor do que o apresentado em janeiro do ano passado, quando o levantamento apurou crescimento de 0,04% no nível de emprego, ante dezembro de 2005, com a criação de apenas 766 vagas.A alta no nível de emprego interrompe uma seqüência de dois meses de queda no indicador, de 0,69% em novembro e de 1,81% em dezembro. Desde janeiro de 2006, o emprego tem apresentado resultados mensais que oscilam entre 0,5% e 1%. O crescimento foi avaliado de forma positiva pelo economista-chefe do Ciesp, Carlos Cavalcanti. Segundo ele, o resultado mostra sinais de que o indicador terá um crescimento moderado neste ano, o que permite projetar um crescimento entre 1% e 1,2% do emprego em 2007."Os números são positivos em relação a janeiro de 2006, quando o emprego teve alta de 0,04%, fica um pouco abaixo de 2005 (0,17%) e repete o resultado de janeiro de 2003, ano em que tivemos um crescimento econômico bastante reduzido. Porém, nada indica que 2007 será um ano como 2003, e por isso esperamos resultados melhores, estamos otimistas e projetamos uma alta entre 1% e 1,2% no nível de emprego em 2007, ante uma elevação de 0,52% em 2006", afirmou Cavalcanti.De acordo com o economista, o Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) deve incrementar a produtividade da indústria nacional. Ele ponderou, entretanto, que o crescimento de produtividade pode se refletir tanto na geração quanto na extinção de empregos. "O aumento da produtividade é uma faca de dois gumes", disse.O nível de emprego acumula alta de 0,58% nos últimos 12 meses, o que significa a criação de 11.289 novos postos de trabalho, 1.230 empregos a mais do que no mesmo período do ano anterior, quando a pesquisa mostrou alta de 0,51%.Matéria alterada às 16h12 para acréscimo de informações

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.