seu bolso

E-Investidor: O passo a passo para montar uma reserva de emergência

Indústria paulista demitiu 10,4 mil no 1º bimestre

O nível de emprego na indústria detransformação paulista caiu 0,24% em fevereiro em relação ajaneiro, o que significou o fechamento de 3.792 vagas.Segundo aFederação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), noacumulado do bimestre a queda foi de 0,66%, ante igual períododo ano passado, com o fechamento de 10.451 postos de trabalho.A diretora de Pesquisas e Estudos Econômicos da entidade,Clarice Messer, afirmou nesta quarta-feira que a queda de 0,24% no nívelde emprego industrial em janeiro não é motivo de preocupação. "Historicamente, fevereiro é um mês de demissão na indústria. E, neste ano, o mês deu um sinal de demissões mais amenas",explicou Clarice.O nível de emprego pesquisado pela Fiesp vemcaindo desde junho do ano passado. O resultado de fevereiro foio menor de outubro até aqui."Acredito que, com a reversão do Indicador do Nível deAtividade (INA) esperado para abril ou maio, as contrataçõesvoltem a ocorrer. Mais provavelmente em maio", previu. Mas issonão é motivo para euforia, alertou Clarice.A maior parte da queda de 0,24% no nível de empregoindustrial em fevereiro, na comparação com janeiro,concentrou-se nos complexos metalomecânico e têxtil.De acordocom Clarice, apesar de ter havido mais demissões do quecontratações em 27 dos 47 sindicatos pesquisados, as quedas nossindicatos desses dois setores são as mais significativas,porque são setores importantes na economia paulista.Segundo Clarice, o segmento que mais demitiu no acumulado do primeiro bimestre foi o de alimentos. "Por motivossazonais, a indústria de alimentos foi a que mais demitiu noacumulado deste ano", explicou.

Agencia Estado,

13 de março de 2002 | 22h21

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.