Indústria paulista demitiu 900 mil trabalhadores em cinco anos

A indústria paulista não consegue criar novos postos de trabalho, apesar a ser a maior responsável pela economia paulista. O pessoal ocupado caiu de 2,18 milhões em 1996 para 1,92 milhão em 2001. Os números são da segunda edição da Pesquisa da Atividade Econômica Paulista (Paep), divulgada hoje pela Fundação Seade, com informações entre julho de 2002 e junho de 2003, na comparação com os dados coletados entre 1997 e 1998. "Como a indústria paulista abastece grande parte do mercado nacional, é também a que mais sofre em períodos recessivos", diz o estudo.A fundação mostra que foi "notável" a participação do setor de serviços na criação de empregos, respondendo por quase metade do pessoal ocupado do conjunto dos três setores (indústria, comércio e serviços). O comércio, embora com total de pessoal ocupado pouco superior ao da indústria, também demitiu em relação a 1996: de 2,07 milhões em 1996 para 1,92 milhão em 2001. O motivo foi a retração da atividade econômica, queda da renda e elevação das taxas de juros.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.