Renda extra

Fabrizio Gueratto: 8 maneiras de ganhar até R$ 4 mil por mês

Indústria paulista fecha 5 mil postos de trabalho em agosto

O nível de emprego na indústria paulista, apurado pela Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), caiu 0,26% em agosto em relação a julho, o que representa um corte de 5 mil postos de trabalho. Foi o pior mês desde dezembro de 2005, quando a variação havia sido negativa em 1,62%. No ano, a indústria paulista criou 72 mil vagas, o que representa um crescimento de 3,46%. Em agosto do ano passado, o emprego industrial teve um incremento de 0,42% na margem. No período de 12 meses encerrado em agosto, o emprego industrial paulista cresceu 1,27%, ou 26 mil postos de trabalho. A Fiesp divulgou a revisão do resultado de julho. A variação anterior era de 0,03% e, com a revisão, a alta passou a ser de 0,07%, com a criação de 2 mil vagas.PerspectivasA Fiesp revisou de 2% para 1% a previsão de alta do nível de emprego industrial paulista, neste ano. De acordo com o diretor do Departamento de Pesquisas Econômicas da Entidade, Paulo Francine, a revisão reflete a "frouxidão do INA (Indicador do nível de atividade Fiesp-Ciesp)", que tem se mostrado fraco desde maio. O economista lembrou que agosto foi o primeiro mês no ano em que o indicador de emprego registrou queda, seguido de dois meses praticamente estáveis.Em junho, a criação de postos havia subido 0,02% e em julho, 0,07%, variações que, segundo Francine, significam crescimento nulo. O câmbio apreciado, responsável pelo aumento das importações, sobretudo em setores de mão de obra intensiva, como têxteis e calçados, além da desaceleração das exportações nesses mesmos setores, é apontado com o principal fator tanto para a queda no INA (queda de 0,3% em julho ante junho) quanto no nível de emprego de agosto e da falta de crescimento em junho e julho.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.