Indústria paulista tem o melhor semestre em quatro anos

Atividade do setor cresceu 8,8% no período, enquanto as vendas reais tiveram um aumento de 6,6%

Reuters,

30 de julho de 2008 | 11h22

A atividade da indústria de São Paulo cresceu 8,8% no 1º semestre deste ano, segundo dados divulgados nesta quarta-feira, 30, pela Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp). Trata-se do maior crescimento para este período desde os primeiros seis meses de 2004. Apenas no mês passado, a alta foi de 3,1%, ante maio, na série com ajuste sazonal. Na comparação com junho do ano passado, o avanço foi de 8,2%.  Nos últimos 12 meses, o avanço na atividade industrial foi de 8,2%, de acordo com as informações da Fiesp. Entre os setores, o destaque de alta em junho foi Produtos Têxteis, com expansão de 2% na comparação mensal, com ajuste. "A variação do INA em junho é um número positivo, que nos alegra. No mês passado, com a queda do indicador falávamos em estabilização", disse o diretor do Departamento de Economia da Fiesp, Paulo Francini. De acordo com o diretor, a expectativa era de que a estabilização seria mais rápida.  Ele acrescentou que nos próximos meses o indicador sofrerá os efeitos da inflação, da apreciação do câmbio e da continuidade da alta da taxa de juros. Francini destacou que os impactos de cada uma dessas varáveis têm velocidades distintas.  As vendas reais da indústria cresceram 8,4% em junho ante maio, sem ajuste sazonal, e 12% na comparação anual. No primeiro semestre, o avanço foi de 6,6%. O uso da capacidade instalada na indústria do Estado, considerando os dados com ajuste sazonal, totalizou 83,3% em junho, comparado a 82,7% em maio e a 82,4% em junho de 2007.  Ainda de acordo com a Fiesp, as horas trabalhadas na produção aumentaram 1,7% em junho ante maio e 6,2% em relação a junho de 2007, sem levar em conta os efeitos da sazonalidade. No acumulado de janeiro a junho, o crescimento foi de 5,8% em relação ao mesmo período do ano passado.  As horas médias trabalhadas aumentaram 1,4% em junho em relação a maio e 1,7% ante junho de 2007, sem ajuste sazonal. O total de salários reais (considerando-se o IPC-Fipe) cresceu 0,8% em relação maio e 6,8% ante igual período do ano passado. Já o total de salários nominais subiu 1,8% em junho ante maio, e 13% em relação a junho de 2007. O salário real médio, por sua vez, teve alta de 0,7% ante maio e de 2,3% na comparação com junho de 2007.  (com Chiara Quintão, da Agência Estado)

Mais conteúdo sobre:
IndústriaFiesp

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.