Coluna

Thiago de Aragão: China traça 6 estratégias para pós-covid que afetam EUA e Brasil

Indústria paulista vê estabilização da produção no 4º trimestre

Os números referentes à atividade da indústria paulista mostram uma tendência à estabilização no quarto trimestre do ano, um movimento que não surpreende os empresários. "Os juros, o câmbio e os impostos praticados no País são contra o crescimento econômico. É natural haver desaceleração", disse o diretor do Ciesp, Boris Tabacof."Os elementos nos conduzem a crer que a indústria está em um processo de acomodação", completou o diretor do Departamento de Economia da Fiesp, Paulo Francini. Amanhã, Fiesp e Ciesp divulgam em conjunto o Indicador de Atividade Industrial (INA) de 2004.A atividade industrial paulista registrou fortes altas no primeiro semestre do ano passado, principalmente porque a base de comparação (primeiro semestre de 2003) era baixa. Ainda assim, segundo Tabacof, a desaceleração que se verifica no último trimestre não é um mero efeito estatístico."O esfriamento da demanda provocado pela alta dos juros já bateu na produção e a ociosidade aumentou", afirmou o empresário. "Não podemos esperar um crescimento econômico acima de 5% neste ano", finalizou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.