Indústria prevê impacto recessivo da alta dos juros

O novo presidente da Confederação Nacional da Indústria (CNI), deputado Armando Monteiro Neto (PMDB-PE), disse nesta quarta-feira, em entrevista coletiva, que as medidas de redução de liquidez e aumento dos juros, adotadas pelo Banco Central, devem ter impacto recessivo e afetar a atividade da indústria no último trimestre deste ano e no primeiro trimestre de 2003."Seguramente, a indústria terá um desempenho muito modesto neste ano", afirmou Monteiro, afirmando que a estimativa anterior, já baixa, era de um crescimento de 1,2% a 1,5%. Ele disse que o quadro atual é "delicadíssimo", principalmente com o crescimento da inflação, que, quando anualizada, já está alcançando dois dígitos.Monteiro avaliou que o problema precisa ser enfrentado, mas deseja que as "medidas drásticas" adotadas pelo governo sejam "de curtíssimo prazo", para que se retome a redução das taxas de juros. Na avaliação do novo presidente da CNI - que será empossado no cargo nesta quarta-feira, às 18 horas as medidas vão prejudicar principalmente o setor de bens de consumo duráveis.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.