Indústria reduz previsão de vendas externas

Os empresários das indústrias exportadoras estão menos otimistas em relação ao desempenho das vendas externas neste ano do que estavam no ano passado, de acordo com o Boletim de Comércio Exterior da Confederação Nacional da Indústria (CNI), divulgado hoje.Os índices de confiança caíram de 57,4 pontos para 53,6 pontos no caso dos empresários de pequenas e médias indústrias e de 57,1 pontos para 55,5 pontos entre os das grandes empresas. Numa escala de 0 a 100, 50 pontos ou mais indicam otimismo.Foram entrevistados 1.192 empresários de pequenas e médias indústrias e 270 de grandes indústrias, entre março e abril. Segundo a CNI, os indicadores são positivos, apesar da fraca demanda internacional e do desabamento das vendas para a Argentina.Os principais problemas vistos pelos empresários para exportar são, no mercado externo, o desaquecimento da demanda e a competição acirrada e, no Brasil, a burocracia nas operações de exportação, os impostos, os custos portuários e o difícil acesso a financiamentos.Segundo o documento, os setores de expectativas negativas para as exportações de 2002 são os de material elétrico, papel e papelão e têxtil. Os de maiores perspectivas de crescimento são os de mobiliário, produtos farmacêuticos e bebidas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.