Indústria teve maior crescimento em SC, PR e SP

A maior parte das 12 regiões pesquisadas pelo IBGE registrou aumento na produção industrial no acumulado de janeiro a novembro do ano passado, ante mesmo período de 2000. Entre as nove regiões que registraram expansão, destacam-se Santa Catarina (4,3%), Paraná (4,0%) e São Paulo (3,2%), todas com desempenhos acima da média nacional (2,1%) no período. O IBGE observou que as três regiões foram beneficiadas pelos resultados favoráveis da indústria alimentícia e mecânica. Por outro lado, as fracas performances de têxtil, vestuário e extrativa mineral derrubaram nessa base de comparação a produção do Ceará (-6,9%) e do Nordeste (-2,3%). No caso do Rio Grande do Sul (-1,0%), a principal influência negativa foi dada pela indústria química. As demais áreas assinalam as seguintes taxas: região Sul (2,1%); Rio de Janeiro (1,9%); Pernambuco (1,3%); Minas Gerais (0,7%); Bahia (0,3%) e Espírito Santo (0,2%).Ceará apresentou maior queda em novembroO Ceará apresentou em novembro a maior queda (-12,3%) da produção industrial regional, entre 12 regiões pesquisadas, segundo divulgou o IBGE. O desempenho negativo da indústria têxtil, especialmente na área de beneficiamento e fiação do algodão, prejudicou a produção no Estado. Também registraram desempenhos negativos bem acima da média em novembro (-2%), ante mesmo mês de 2000, as indústrias do Espírito Santo (-8,7%) - pressionadas pelas quedas na extrativa mineral, metalúrgica e têxtil - e Minas Gerais (-6,5%), nesse caso com impactos negativos dos segmentos de metalurgia, química e extrativismo mineral. As demais áreas com queda na produção em novembro são as seguintes: Rio Grande do Sul (-3,7%), Rio de Janeiro (-3,6%), Pernambuco (-3,1%) e Nordeste (-3,0%).

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.