Marcio Fernandes/Estadão
Marcio Fernandes/Estadão

Industriais iniciam o ano mais otimistas

Segundo a Sondagem Industrial da Confederação Nacional da Indústria (CNI), os empresários estimam aumento no número de empregados, alta nos investimentos, demanda, exportações e compra de matérias-primas

Lorenna Rodrigues, O Estado de S. Paulo

26 Janeiro 2019 | 05h00

BRASÍLIA - Mesmo com queda registrada na atividade e emprego entre novembro e dezembro, as expectativas dos industriais são positivas para os próximos seis meses. Segundo a Sondagem Industrial da Confederação Nacional da Indústria (CNI), os empresários estimam aumento no número de empregados, alta nos investimentos, demanda, exportações e compra de matérias-primas.

A projeção para o número de empregados passou de 51,7 pontos na pesquisa feita no mês de novembro para 53,1 pontos na pesquisa divulgada ontem – números abaixo de 50 indicam queda. Na pesquisa de dezembro de 2017, o indicador estava em 50,2.

A intenção de investir ficou em 56,1 pontos, ante 55,5 pontos da pesquisa anterior. Já o índice que mede a demanda ficou em 60,3 pontos, o de quantidade exportada em 56,1 pontos e o de compras de matéria-prima ficou em 57,5 pontos.

“O aumento da intenção de investir do empresário é uma excelente notícia. A concretização desses investimentos gera mais emprego, mais produção e mais renda, dando condições para que a indústria, e a economia como um todo, não só apresentem taxas maiores de crescimento, mas, mais ainda, trilhem um caminho de crescimento sustentado no longo prazo”, disse Marcelo Azevedo, economista da CNI.

Mas, pela pesquisa, as empresas ainda estão insatisfeitas com suas condições financeiras. O indicador que mede a margem de lucro operacional passou de 42,4 pontos para 42,0 pontos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.