Indústrias de Franca ameaçam fechar a partir de janeiro

A crise do setor calçadista em Franca (SP), um dos principais pólos produtores do País, pode levar indústrias a fecharem suas portas já em janeiro de 2006. Além da queda no dólar, que deve trazer um déficit de 2,5 mil empregos em 2005 ante os 18 mil do final de 2004, as empresas cobram a devolução de créditos de exportação retidos pelo governo federal (PIS/Cofins) e pelo governo de São Paulo (ICMS).O presidente do Sindicato da Indústria de Calçados de Franca (Sindifranca), Jorge Donatelli, afirmou que a indústria pode até mesmo entrar na Justiça para cobrar a devolução dos valores recolhidos pelo governo paulista."Nós estamos desde novembro sem receber o que é nosso e o governador Geraldo Alckmin sequer nos atende. Estou sendo até chamado de omisso pelos outros industriais por não tomar uma atitude jurídica", afirmou Donatelli, que não soube estimar o valor retido pelo governo paulista.Já os créditos de PIS/Cofins somam cerca de R$ 40 milhões. De acordo com o empresário, para cada par de sapato exportado cerca de R$ 15 são retidos pelo governo em impostos que deveriam ser devolvidos de acordo com a Lei Kandir.Posição do governo de SPHoje, o governador de São Paulo afirmou que devolverá os créditos de ICMS devidos aos exportadores de calçados de Franca, assim que o governo federal honrar a dívida de R$ 900 milhões, oriunda da Lei Kandir, que tem com os Estados. Ele disse que conversará com os governadores para revogar a resolução do Confaz que autorizou a cobrança do ICMS dos exportadores e que São Paulo fará a devolução.Alckmin aproveitou a ocasião para criticar a demora do governo federal em resolver a dívida da União com os Estados por conta da Lei Kandir. "Cria um estresse desnecessário e, claro, os Estados passam por dificuldades."Críticas a Lula Donatelli cobra ainda um encontro com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva para que o setor possa expor seus problemas. De acordo com ele, três reuniões já foram marcadas com Lula, mas todas adiadas. "Quando a primeira reunião foi marcada, o Tevez sequer era famoso e o presidente o recebeu antes de nós", ironizou Donatelli, numa referência ao encontro entre Lula, o atacante do Corinthians e a delegação do clube tetracampeão brasileiro em Brasília. Em Franca, conhecida como a capital brasileira do calçado masculino, as exportações neste ano caíram 13% em volume e 5% em valor ante 2004, de acordo com o Sindifranca.

Agencia Estado,

08 de dezembro de 2005 | 15h10

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.