Indústrias dos EUA colocam Brasil no foco

Na busca por mercados que possam compensar a queda das vendas nos Estados Unidos, as montadoras americanas colocam o Brasil entre os países prioritários para seus negócios este ano. "O mercado brasileiro vai continuar crescendo e queremos estar preparados para isso", disse o presidente da Ford para as Américas, Mark Fields.Ele não adiantou detalhes ontem, mas é possível que a companhia anuncie novos projetos para o País, que pode incluir a ampliação da fábrica de Camaçari (BA). Hoje a unidade opera no limite da capacidade.O Brasil está "entre os cinco mercados top para a companhia", afirmou o vice-presidente internacional de vendas da Chrysler, Michael Manley. Os outros da lista são China, Índia, Rússia e Europa. O interesse levou a empresa a firmar parceria com a Nissan para a produção, no México, de um carro de médio porte que será vendido primeiramente no Brasil a partir de 2009. O modelo, derivado do Versa, será comercializado no Brasil com versão sedã do Tiida, já exportado pela Nissan para o País.O mercado de carros nos EUA totalizou 16,1 milhões de unidades em 2007, ante 16,5 milhões em 2006. A previsão para este ano, nos cálculos de vários executivos, incluindo Manley, é de ficar na casa dos 15,5 milhões. O Brasil, que em 2007 bateu recorde de vendas com 2,4 milhões de unidades, se prepara para superar essa marca e chegar aos 2,8 milhões, incluindo caminhões e ônibus. Enquanto americanas GM, Ford e Chrysler perdem espaço nos EUA, as japonesas Toyota e Honda crescem e ocupam espaço no maior mercado mundial de automóveis. A Toyota noticiou que desbancou a GM da liderança mundial de 76 anos em produção de veículos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.