coluna

Dan Kawa: Separar o ruído do sinal é a única forma de investir corretamente daqui para a frente

Inepar elabora proposta para pagar debenturistas

A Inepar Indústria e Construções elaborou proposta aos debenturistas da segunda emissão, a ser apresentada em assembléia geral, convocada para 29 de maio. A estrutura para apuração e pagamento do saldo devedor será a seguinte: o valor do saldo deverá ser atualizado pela taxa atual do papel (IGP-M + 17% ao ano) até o dia útil imediatamente anterior ao primeiro pagamento de principal, em 30 de maio de 2002. A partir desta data, ficará valendo como remuneração e correção do papel a taxa de IGPM + 11% ao ano.Pela proposta, a primeira amortização do principal deverá ocorrer em 3 de junho de 2002 e equivalerá a 1% do montante do principal apurado no dia útil imediatamente anterior a esta data. A segunda amortização ocorrerá no dia 1º de julho de 2002, correspondendo a 1% do principal, sendo ainda pagos juros e correção monetária para o período compreendido entre a primeira e a segunda amortização do principal.A partir desta amortização, todos os outros pagamentos passarão a ter as características a seguir: amortização de 2% do principal corrigido, mais juros e correção monetária referentes ao período entre a amortização em questão e a amortização imediatamente anterior. Desta forma, fica estabelecido o total de 51 pagamentos até o final da vida do papel, incluído o primeiro pagamento a ser realizado em 3 de junho.Em comunicado enviado à Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa), a Inepar informa que, de acordo com solicitação dos debenturistas, serão marcadas reuniões de repactuação nas seguintes datas: a primeira durante o mês de janeiro de 2003, e as subsequentes a cada 12 meses a partir desta primeira reunião. De acordo com o pleito dos debenturistas, os direitos que atualmente constam da escritura do papel serão integralmente mantidos.A Inepar diz que assumiu o compromisso de quitar antecipadamente o saldo devedor das debêntures assim que estiverem disponíveis recursos oriundos da venda de participação que a Inepar Energia detém na UHE Dona Francisca, por meio da Dona Francisca Energética.

Agencia Estado,

14 de maio de 2002 | 18h11

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.