Inepar espera reestruturação para pagar debenturistas

A Inepar ficou inadimplente com os debenturistas da 2ª e 3ª emissões porque não conseguiu finalizar o processo de reestruturação financeira até o final de setembro, como era previsto. A companhia informou que esperava concluir a reestruturação para receber aporte dos acionistas e pagar os debenturistas. Como o aporte ainda não se concretizou, a empresa deixou de pagar a parcela da repactuação das debêntures que venceu em 1º de outubro. De acordo com a companhia, a reorganização financeira está em curso, mas não tem prazo para terminar.Entre os acionistas da Inepar estão o BNDES e fundos de pensão. Devido à inadimplência, a Inepar divulgou hoje a proposta que será apresentada aos debenturistas da 3ª emissão em assembléia geral convocada pela companhia para 21 de outubro.A proposta envolve o pagamento das parcelas de 1º de outubro e 1º de novembro com recebíveis de clientes da empresa, sem multas nem encargos adicionais. Os debenturistas da 2ª emissão vão se reunir em 18 de outubro, e a empresa deve apresentar uma proposta para eles apenas no dia da reunião. A assembléia dessa emissão foi convocada pelo agente fiduciário, a Pentágono DTVM.Os debenturistas da 2ª emissão da Inepar afirmam que não vão aceitar a proposta da companhia de pagamento do débito com recebíveis de clientes. Os recebíveis são da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM) e da Companhia do Metropolitano do Distrito Federal.Segundo os investidores, a Inepar fez essa proposta à 2ª emissão dois dias antes do vencimento da parcela de 1º de outubro, no valor de R$ 612 mil. Essa é a quinta parcela de um total de 51 acertadas entre a empresa e os investidores para o pagamento das debêntures. O saldo devedor total da 2ª emissão era de cerca de R$ 21 milhões, antes dos juros.Os debenturistas recusaram a oferta dos recebíveis e marcaram uma assembléia geral para 18 de outubro. Segundo uma fonte, a recusa aconteceu porque os recebíveis já estão vencidos e não pagos. Ou seja, a empresa quer pagar a dívida com títulos em atraso.A própria Inepar confirmou o atraso por parte das companhias de metrô, mas disse que negocia para que as empresas efetuem o pagamento. Na assembléia, os debenturistas vão discutir as medidas a serem tomadas contra a companhia. Eles ameaçam ir à Justiça, caso a Inepar não providencie o pagamento imediato da quinta parcela. Já os debenturistas da 3ª emissão aceitaram discutir a proposta.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.