Inexperiência em informática deixa 3 mil vagas em aberto

A falta de experiência em informática impede que trabalhadores acima de 40 anos consigam preencher as 3.400 vagas de emprego oferecidas pelo Centro de Solidariedade ao Trabalhador (CST), da Força Sindical. De acordo com a central sindical, desde que o CST foi implantado, em 1998, ela busca oferecer cursos de qualificação e requalificação profissional, tanto para jovens como para trabalhadores de mais idade.A Força Sindical informou que chegou a discutir com o governo anterior dois programas de qualificação, "visto que, na época, a maioria das vagas disponíveis dava preferência aos jovens, mas eles não tinham, e continuam não tendo, experiência profissional ou uma profissão". "Já os com mais de 40 anos tinham experiência, mas não encontravam vagas no mercado", afirmou a central, que indicou, no entanto, uma mudança no cenário. Do total de 5.750 vagas existentes hoje no CST, a maioria é para pessoas com mais de 40 anos, mas a contratação continua esbarrando na falta de qualificação."Estes trabalhadores estão desatualizados. Com certeza, eles têm uma profissão, mas não encontram mais emprego na função que exerciam, precisam se requalificar e os programas e cursos de qualificação e requalificação do governo federal estão parados por falta de verba", afirmou Eleno Bezerra, vice-presidente da Força Sindical. Do total de vagas disponíveis no CST (5.750), 70% são para o setor de serviços; 18% comércio, 10% indústria e 2% construção civil.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.