Inflação anual cai pelo quarto mês seguido no mundo, mas no Brasil avança para 6,7%

Segundo a OCDE, as taxas de inflação das maiores economias do mundo desaceleraram em setembro, refletindo o fraco ritmo do crescimento econômico

Sergio Caldas, O Estado de S. Paulo

04 de novembro de 2014 | 10h50

As taxas de inflação das maiores economias do mundo desaceleraram pelo quarto mês consecutivo em setembro, mas no Brasil houve movimento contrário: os preços subiram. Segundo a pesquisa mensal da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE), o índice de preços ao consumidor (CPI, na sigla em inglês) médio dos 34 países-membros subiu 1,7% nos 12 meses até setembro, após avançar 1,8% no período de 12 meses encerrado em agosto.

Considerando-se apenas os países do G-20, a taxa anual de inflação desacelerou para 2,6%, de 2,7% na mesma comparação. O G-20 responde por 90% da atividade econômica global.

Para a OCDE, a queda da inflação no mundo reflete o fraco ritmo do crescimento econômico e sugerindo que os bancos centrais provavelmente não terão pressa de apertar a política monetária nos próximos meses.

A OCDE também informou que a inflação anual no Brasil avançou para 6,7% em setembro, de 6,5% em agosto. Na Rússia, a alta no CPI passou para 8,0%, de 7,6%. Na China, por outro lado, o avanço dos preços perdeu força para 1,6%, de 2,0%. 

Tudo o que sabemos sobre:
inflaçãoOCDE

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.