Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90

Inflação atinge 1,6% em agosto na zona do euro

A taxa de inflação da zona do euro, que reúne os 16 países que utilizam o euro como moeda, atingiu 1,6% em agosto, na comparação com o mesmo mês do ano passado. Em julho, na mesma base de comparação, a inflação havia sido de 1,7%. Os dados, ainda preliminares, foram divulgados hoje pela agência de estatísticas da União Europeia, a Eurostat.

CLARISSA MANGUEIRA, Agencia Estado

31 de agosto de 2010 | 09h06

Economistas haviam previsto inflação de 1,5% em agosto. No início deste mês, o presidente do Banco Central Europeu (BCE), Jean-Claude Trichet, disse que a inflação iria provavelmente permanecer moderada e que o nível das taxas de juros da instituição era apropriado. O banco central, que pretende deixar a inflação um pouco abaixo de 2% no médio prazo, tem mantido sua principal taxa de juros em 1% desde maio do ano passado.

Desemprego

A taxa de desemprego da zona do euro permaneceu inalterada em 10% pelo quinto mês seguido em julho, o que indica que, apesar do forte crescimento da economia no segundo trimestre, a recuperação ainda não resultou na criação de um número significativo de novos empregos. A Eurostat informou que 15,833 milhões de pessoas estavam sem emprego nos 16 países da zona do euro no mês passado. O número é maior que a população combinada da Grécia e da Irlanda, dois dos membros mais problemáticos da região.

Segundo a agência, o número de desempregados recuou em 8 mil pessoas em julho ante junho, mas subiu em 668 mil na comparação com o mesmo mês do ano passado. A taxa de desemprego ficou em linha com as previsões dos economistas.

A economia da zona do euro registrou expansão de 1% no segundo trimestre, na comparação com o trimestre anterior, seu desempenho mais forte em quatro anos. Mas as empresas não aumentaram o número de empregados, devido às dúvidas sobre a sustentabilidade e a força da recuperação da economia mundial. As informações são da Dow Jones.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.