Renda extra

Fabrizio Gueratto: 8 maneiras de ganhar até R$ 4 mil por mês

Inflação baixa é a prioridade, insiste Meirelles

O presidente do Banco Central (BC), Henrique Meirelles, em entrevista exclusiva à Agência Estado, disse hoje que a preocupação com o impacto da inflação inercial no Brasil é "pertinente". Segundo ele, pelo fato de o regime de metas de inflação ter sido adotado pelo País há poucos anos, ainda há pessoas que tratam a questão de uma forma "leniente". Ele comparou a inflação a uma pessoa doente. "Quando uma pessoa está enferma, tem que se tomar todas as medidas necessárias para que se baixe a febre", disse. "Não se pode aceitar que a febre seja um fenômeno de convivência permanente." Meirelles ressaltou também a importância da aprovação ontem no Congresso, em segundo turno, do artigo 192, que abre o caminho para a autonomia do Banco Central.Meirelles reforçou que "não há dúvida de que é sempre um risco o estabelecimento da inflação inercial em qualquer país que sofre um choque de oferta, e portanto um choque de custo". Ele observou que, por isso, "é portanto uma postura clássica de qualquer Banco Central estar muito atento para que se combata esse risco através da política monetária". Inflação baixa é prioridadeO presidente do BC disse que, pelo fato de o regime de metas inflacionárias ser muito novo no Brasil, algumas pessoas tendem a ser mais flexíveis em relação à escalada dos preços. "Não há dúvida que devido à história do País de inflações elevadas, há algumas pessoas no Brasil - não todas- que tendem a ser mais lenientes com a inflação", disse. "Isso certamente não é a experiência internacional, segundo a qual a inflação deve ser um fenômeno transitório." Segundo Meirelles, "uma inflação elevada, principalmente de dois dígitos, não é uma inflação com a qual se deva conviver de uma forma permanente". Ele salientou que "a busca da baixa inflação é uma prioridade em qualquer país". "Essa é postura não só dos bancos centrais da maioria dos países do mundo, mas também dos analistas, empresários, políticos do mundo. O Brasil também está indo nessa direção e não há dúvida que isso é uma visão compartilhada pela maioria da população do Brasil", disse.Primeira vitóriaO presidente do BC afirmou ainda que o aval do Congresso ao artigo 192 representa "a primeira grande aprovação dentro da proposta de reformas do governo do presidente Lula". Segundo ele, "é uma medida importante para a comunidade internacional pois o Brasil dá uma demonstração que de fato está disposto a adotar as medidas necessárias e a superar divergências partidárias visando o interesse nacional". Ele acrescentou que a aprovação do 192 é também "extremamente importante porque abre agora o caminho para a regulamentação do sistema financeiro como um todo". Como exemplo, ele citou o primeiro projeto de lei, já anunciado pelo governo, que regulamenta as cooperativas. Além disso há "todos os demais projetos que virão no âmbito da regulamentação do sistema financeiro, entre as quais a lei da responsabilidade monetária". Meirelles participou hoje do encerramento do congresso de governadores de bancos centrais do continente americano, em Sevilha, na Espanha. Ele retorna ao Brasil no final de semana.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.