Inflação cai para 0,37% na 2ª prévia de novembro em SP

A segunda quadrissemana do Índice de Preços ao Consumidor (IPC) de novembro da Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe), ficou em 0,37%, abaixo do que o mercado esperava - entre 0,40% e 0,45% -, de acordo com expectativas de analistas do mercado financeiro consultados nos últimos dias pela Agência Estado. O índice divulgado hoje cedo ficou, portanto, abaixo da taxa de 0,52% registrada na primeira prévia de novembro e repetiu o que ocorreu na terceira quadrissemana de agosto, quando o IPC-Fipe também ficou 0,37%. Desde então, o índice mais baixo foi o de 0,63% apurada nos fechamentos de agosto e outubro. Um dos principais fatores responsáveis pelo índice alcançado agora pelo IPC da Fipe foi o menor impacto do reajuste da tarifa de água e esgoto. Além disso, a taxa de variação do grupo Alimentação também caiu, com a redução da pressão por parte dos preços de carnes, constatação feita em compras de supermercados. Ainda dentro dos preços que seguraram o ritmo de queda da inflação na cidade de São Paulo estão os jogos lotéricos e ainda a alta de alguns alimentos in natura.Na segunda quadrissemana de novembro, os preços tiveram as seguintes variações, que compuseram o índice geral de 0,37%: habitação, 0,72%; alimentação, 0,25%; transportes, 0,11%; despesas pessoais, 0,20%; saúde, 0,42%; vestuário, 0,05%; educação, 0,07%. A Fipe calcula a cada semana as variações quadrissemanais do IPC para a faixa de renda familiar entre 1 a 20 salários mínimos. Para o cálculo, a Fipe leva em consideração a a amostra total de 110 mil tomadas de preços, que é subdidivida em quatro subamostras, cada uma delas pesquisadas em um período de no mínimo sete e no máximo oito dias, que forma a semana de coleta.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.