Inflação chega a 2,03% na segunda prévia do mês

O Índice de Preços ao Consumidor (IPC) da Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe) da Universidade de São Paulo registrou inflação de 2,03% na segunda quadrissemana de novembro, porcentual superior ao apurado na primeira prévia, quando o IPC foi de 1,55%. Alimentação continua apresentando a maior alta do IPC. O item subiu 5,41%, ante 4,07% da primeira pesquisa do mês. O grupo Transportes foi responsável pela segunda maior alta (+2,10%), registrando, também, alta considerável em relação à variação da primeira prévia (+1,15%). Despesas pessoais também subiu em relação à pesquisa divulgada na semana passada. O grupo registrou variação de 1,45%, ante 1,37% da primeira quadrissemana. Os itens Saúde (+0,31% ante +0,49%) e Vestuário (+0,90%, ante +0,98%) registraram variação menor em relação à primeira prévia do mês. Já Educação apresentou a mesma variação da primeira pesquisa do mês: +0,27%. Veja as variações dos itens que compõem o IPC: Habitação: +0,69%; Alimentação: +5,41%; Transportes: +2,10%; Despesas Pessoais: +1,45%; Saúde: +0,31%; Vestuário: +0,90%; Educação: +0,27%; Índice Geral: +2,03%.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.