Inflação com massa instantânea preocupa Pequim

Enquanto a mídia estatal garante que a inflação está sob controle na China, a Associação Nacional dos Consumidores pede à Comissão Nacional de Desenvolvimento e Reformas que avalie o aumento de 20% nos preços do macarrão instantâneo, promovida pelos fabricantes.Segundo o advogado da entidade de defesa do consumidor, Qiu Baochang, os aumentos são aceitáveis diante do aumento de custos de produção, mas não por ''''um possível pacto entre as empresas''''. ''''A decisão conjunta viola a Lei de Preços e os direitos dos consumidores'''', alega Qiu.O aumento foi anunciado na semana passada pelo representante chinês na Associação Mundial de Produtores de Macarrão Instantâneo, Meng Suhe. ''''Os fabricantes que respondem por 95% do mercado concluíram um acordo para elevar os preços'''', justificou Meng, justificando a subida de custos. A inflação na China chegou a 4,4% em junho, puxada pelos alimentos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.