Inflação da China excede previsões e sobe a 8,7% em fevereiro

Índice de preços ao consumidor teve a maior alta na comparação anual desde maio de 1996

Agência Estado,

11 de março de 2008 | 06h02

A inflação da China acelerou fortemente para 8,7% em fevereiro, excedendo amplamente as previsões e aumentando as pressões para que o governo adote mais medidas de aperto econômico. O índice de preços ao consumidor, divulgado pelo Escritório Nacional de Estatísticas, teve a maior alta na comparação anual desde maio de 1996, bem acima do aumento de 7,1% de janeiro e os 6,5% de dezembro.    Veja também:  ''Impacto da crise depende da China'', diz Meirelles    Crise externa faz Bovespa cair 3%, e dólar passa de R$ 1,70 Barril de petróleo sobe e bate novo recordeESPECIAL: Preço do petróleo em altaEvolução do preço do dólar A alta foi puxada pelo feriado do Ano Novo Lunar e pelas tempestades de neve de inverno, que elevaram os preços dos alimentos, os quais foram o principal componente do aumento, com participação de 23%. Alguns analistas acreditam que Pequim reagirá com mais medidas de aperto, o que pode incluir aumento da taxa de juros. A China disse que pretende manter a inflação de 2008 ao redor de 4,8%, embora muitos analistas tenham dito que essa meta pode ser difícil de ser atingida.Embora os alimentos tenham sido o maior fator a empurrar a inflação para cima, a contínua e rápida alta dos preços do petróleo, metais e produtos agrícolas também contribuíram para os aumentos da inflação nos dois primeiros meses do ano, disse o governo. As informações são da Dow Jones

Tudo o que sabemos sobre:
inflaçãoChina

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.