Inflação da primeira prévia é a menor desde abril

A primeira prévia da inflação medida pelo Índice Geral de Preços do Mercado (IGP-M) de julho desacelerou ante o mesmo período de junho. Segundo divulgou nesta quinta-feira a Fundação Getúlio Vargas (FGV), a taxa passou de 0,27% para 0,17%. O resultado, conforme a fundação, representa a menor taxa para uma primeira prévia desde abril deste ano, quando o indicador teve que de 0,43%. O resultado ficou dentro das estimativas dos analistas do mercado financeiro ouvidos pela Agência Estado, que esperavam algo entre 0,08% a 0,43%.O IGP-M é composto por outros três indicadores: o Índice de Preços do Atacado (IPA), com 60% do total, o Índice de Preços do Varejo, com 30%; e o Índice Nacional de Custo da Construção (INCC), com 10%. Os preços do atacado subiram 0,28% no período - taxa exatamente igual a do mesmo período do ano passado. Os preços do varejo, por sua vez, caíram 0,28%, ante deflação de 0,33% na primeira prévia de junho. Já a construção desacelerou: de 1,80% para 0,59%. Até a primeira prévia de julho, o IGP-M acumula elevações de 1,57% no ano e de 1,38% em 12 meses. O período de coleta de preços para cálculo foi do dia 21 a 30 de junhoProdutos Por produtos, as altas de preço mais expressivas no atacado foram apuradas em arroz em casca (16,64%); milho em grão (2,38%) e arroz beneficiado (4,08%). As maiores quedas ficaram a cargo da mandioca - aipim (-13,08%); tomate (-28,23%) e soja em grão (-1,23%). Este texto foi atualizado às 14h22.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.