Marcos de Paula/Estadão
Marcos de Paula/Estadão

Inflação da terceira idade sobe 0,50% no 2º trimestre de 2017

Destaque foi a tarifa de eletricidade residencial, que recuou 2,46% no período ante um aumento de 5,76% no trimestre anterior

Daniela Amorim, O Estado de S.Paulo

12 Julho 2017 | 15h08

A inflação sentida pela população idosa passou de uma alta de 1,38% no primeiro trimestre para um avanço de 0,50% no segundo trimestre de 2017, informou a Fundação Getulio Vargas (FGV). O Índice de Preços ao Consumidor da Terceira Idade (IPC-3i), que mede a variação da cesta de consumo de famílias majoritariamente compostas por indivíduos com mais de 60 anos de idade, acumulou uma alta de 3,51% em 12 meses.

Com o resultado, a variação de preços percebida pela terceira idade ficou acima da taxa de 3,44% acumulada em 12 meses pelo Índice de Preços ao Consumidor - Brasil (IPC-BR), que apura a inflação média percebida pelas famílias com renda mensal entre 1 e 33 salários mínimos.

Cinco das oito classes de despesas tiveram taxas de variação menores. A principal contribuição para a desaceleração no segundo trimestre partiu do grupo Habitação, que passou de 2,02% no primeiro trimestre para 0,40%. O destaque foi a tarifa de eletricidade residencial, que recuou 2,46% no segundo trimestre ante um aumento de 5,76% no trimestre anterior.

Cinco das oito classes de despesas tiveram taxas de variação menores. A principal contribuição para a desaceleração no segundo trimestre partiu do grupo Habitação, que passou de 2,02% no primeiro trimestre para 0,40%. O destaque foi a tarifa de eletricidade residencial, que recuou 2,46% no segundo trimestre ante um aumento de 5,76% no trimestre anterior.

++ Vendas no varejo recuam em maio e têm queda de 3,6% em um ano

As demais taxas menores foram registradas em Alimentação (de 1,12% para -0,94%), Educação, Leitura e Recreação (de 2,95% para 0,08%) e Transportes (de 0,39% para -0,52%).

Na direção oposta, houve aceleração nos grupos Saúde e Cuidados Pessoais (de 1,74% para 2,70%), Comunicação (de -1,07% para 0,75%) e Vestuário (de -0,19% para 1,18%), com destaque para os itens medicamentos em geral (de 0,13% para 3,43%).

Mais conteúdo sobre:
Terceira Idade FGV inflação

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.