Inflação de março em São Paulo foi de 0,67%

O Índice de Preços ao Consumidor (IPC), da Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe) da USP, encerrou o mês de março em 0,67%, consideravelmente abaixo do previsto pelos analistas ouvidos pela Agência Estado, que apostavam numa variação entre 0,75% e 0,85%. O IPC de março também ficou abaixo do apurado na terceira quadrissemana do mês (+0,86%) e foi muito menor do que a inflação de fevereiro, quando o índice foi de 1,61%. O item alimentação continua a liderar a alta do IPC, mas a variação vem caindo. No mês de fevereiro, o aumento foi de 1,86%. Já na terceira prévia de março, a variação caiu bastante (+1,17%), encerrando o mês em 1,15%. Transportes, que liderou o aumento do IPC em fevereiro (alta de 4,46%) perdeu o fôlego no decorrer do mês. Na terceira pesquisa de março, a variação do grupo foi de 0,97%, caindo ainda mais no fechamento do mês: +0,42%. Em relação ao fechamento de fevereiro, apenas Saúde teve alta. O grupo subiu 1,46% em março, ante 1,06% do fechamento de fevereiro. Já na comparação com a terceira prévia do mês, Vestuário, Saúde e Educação apresentaram variações maiores. Veja as variações dos itens que compõem o IPC: Habitação: +0,53%; Alimentação: +1,15%; Transportes: +0,42%; Despesas Pessoais: +0,15%; Saúde: +1,46%; Vestuário: +0,73%; Educação: +0,28%; Índice Geral: +0,67%.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.