finanças

E-Investidor: "Você não pode ser refém do seu salário, emprego ou empresa", diz Carol Paiffer

Inflação derruba intenção de consumo das famílias paulistanas

Índice de Intenção de Consumo das Famílias registrou a menor pontuação para o mês desde 2010; FecomercioSP avalia que as famílias estão adiando a contração de crédito

EQUIPE AE, Agencia Estado

17 de maio de 2013 | 10h01

SÃO PAULO - O índice de Intenção de Consumo das Famílias (ICF) paulistanas, divulgado nesta sexta-feira, 17, pela Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (FecomercioSP), registrou queda de 0,4% em abril, descendo para 129,1 pontos. Foi a quarta retração consecutiva e a menor pontuação para o mês desde 2010. Em nota, a Federação diz que a principal causa para o pior início de ano da série histórica do indicador é a inflação.

"As quedas sucessivas são causadas pela elevação na inflação, pois as famílias, em geral, optam por adequar seu orçamento para os gastos necessários, adiando a contração de crédito ou financiamentos de médio e longo prazo", avaliou a FecomercioSP. "Além disso, o cenário econômico menos positivo gera uma cautela maior no sistema financeiro, reduzindo o prazo médio das concessões e elevando os juros."

O índice tem uma escala que vai de 0 a 200 pontos. Pontuações abaixo de 100 indicam insatisfação e acima desse nível, satisfação. Dos sete itens analisados, três caíram em abril. O destaque negativo ficou com o acesso a crédito, que recuou 3%, atingindo 148 pontos - menor pontuação desde março de 2011. Emprego atual (132,5 pontos) e perspectiva profissional (126,8 pontos) apresentaram, respectivamente, quedas de 1% e 1,5%.

Tudo o que sabemos sobre:
consumointençãoSPFecomercio

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.