Tiago Queiroz/Estadão
Tiago Queiroz/Estadão

Inflação desacelera e termina janeiro com alta de 0,29%, aponta IBGE

O resultado de janeiro foi o mais baixo para o mês desde o início do Plano Real; em 12 meses, a taxa acumulada pelo IPCA foi de 2,86%, diz o IBGE

Daniela Amorim, Broadcast

08 Fevereiro 2018 | 09h14

RIO - A inflação medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) fechou janeiro com alta de 0,29%, ante um avanço de 0,44% em dezembro, informou nesta quinta-feira, 8, o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

O resultado de janeiro foi o mais baixo para o mês desde o início do Plano Real, segundo o IBGE. 

Como resultado, a taxa acumulada em 12 meses voltou a recuar, após quatro meses seguidos de aceleração.

O IPCA em 12 meses saiu de 2,95% em dezembro de 2017 para 2,86% em janeiro de 2018. Em janeiro do ano passado, o IPCA tinha ficado em 0,38%.

Conta de luz. A tarifa de energia elétrica ficou 4,73% mais barata em janeiro, principal impacto negativo sobre a inflação do mês. O item deu uma contribuição de -0,17 ponto porcentual para a taxa de 0,29% do IPCA de janeiro.

O movimento se deve à substituição da bandeira tarifária vermelha patamar 1 em vigor em dezembro pela bandeira verde em janeiro, dando fim à cobrança do adicional de R$ 0,03 por cada kwh consumido. Além disso, houve redução na alíquota de PIS/Cofins em algumas das regiões pesquisadas.

Apenas Porto Alegre teve elevação na energia elétrica (5,00%), devido ao reajuste de 29,60% em uma das concessionárias a partir de 21 de dezembro. Nas demais regiões, as variações oscilaram entre -8,03% em Belém e -0,39% em Vitória.

Como resultado, o grupo Habitação teve queda de 0,85% em janeiro, após já ter recuado 0,40% em dezembro.

O gás de botijão ficou 0,32% mais barato em janeiro, como consequência da redução de 5,00% no preço nas refinarias do gás de cozinha vendido em botijões de 13 kg, anunciada pela Petrobras em 19 de janeiro.

Por outro lado, a taxa de água e esgoto subiu 0,12%, impulsionada por reajustes em Belém, Fortaleza e Campo Grande. O gás encanado ficou 1,34% mais caro, como reflexo do reajuste ocorrido no Rio de Janeiro.

Combustíveis.  O encarecimento da gasolina puxou a alta de 1,10% nas despesas das famílias com Transportes em janeiro, segundo os dados do IPCA, divulgados hoje.

Os combustíveis ficaram 2,58% mais caros no mês. O litro da gasolina subiu 2,44%, item de maior impacto sobre o IPCA de janeiro, o equivalente a uma contribuição de 0,10 ponto porcentual para a taxa de 0,29% de inflação do mês. O etanol aumentou 3,55%.

Ainda em transportes, a tarifa de ônibus urbano subiu 1,36% em janeiro, enquanto a de ônibus intermunicipal teve elevação de 1,80%.

Por outro lado, as passagens aéreas recuaram 1,35% em janeiro, após o salto de 22,28% registrado em dezembro.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.