Inflação deve encerrar 2006 abaixo de 4%

O mercado não só acredita que a inflação será encerrada este ano abaixo da meta de 4,5%, definida pelo Conselho Monetário Nacional (CMN), como também abaixo de 4%. A estimativa foi divulgada nesta segunda-feira pela Pesquisa Focus, do Banco Central. Segundo o levantamento, o Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) deve ficar em 3,98% no acumulado de 2006, e não mais em 4,04%, previstos há uma semana. Enquanto isso, porém, na estimativa de IPCA 12 meses à frente, houve alta de 4,23% para 4,34%. Há quatro semanas, estas projeções estavam em 4,21%.Já as projeções de IPCA das instituições Top 5 ficaram estáveis em 3,80% no cenário de médio prazo. Com a estabilidade, foi interrompida uma seqüencia de três quedas seguidas registradas nas últimas pesquisas. Para 2007, o mercado previu, pela 46ª semana consecutiva, que a inflação ficará em 4,5% - exatamente no centro da meta, já definida pelo CMN para o ano que vem. Para junho, essas estimativas recuaram de -0,05% para -0,10%, marcando a sexta queda seguida dessas previsões. O resultado oficial do IPCA de junho será divulgado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) na próxima segunda-feira. Na análise de julho também é esperada uma redução de 0,05 ponto porcentual: de 0,35% para 0,30%. Selic A pesquisa ainda mostrou uma expectativa do mercado de que o Comitê de Política Monetária (Copom) cortará a taxa básica de juros (Selic, atualmente em 15,25% ao ano), em 0,5 ponto porcentual em sua próxima reunião, a ser realizada entre os dias 18 e 19 deste mês. Com isso, a taxa deve ficar em 14,25%.Já para agosto, a queda deve ser um pouco menor, de 0,25 ponto porcetual. Com isso, a Selic deve encerrar o mês em 14,5% ao ano.Dólar Anulando a alta de R$ 0,02 da última semana, a Focus previu que o dólar valerá no final deste mês R$ 2,20, e não mais R$ 2,22, previstos há uma semana. Para o final do ano, as estimativas de taxa de câmbio caíram de R$ 2,25 para R$ 2,24. A redução interrompeu uma seqüência de duas semanas seguidas de alta destas previsões, que estavam em R$ 2,20 há quatro semanas. Para o final de 2007, as estimativas de câmbio continuaram estáveis em R$ 2,35 pela sexta semana seguida.Investimento estrangeiro As projeções de mercado para o fluxo de investimento estrangeiro direto (IED) neste ano subiram de US$ 15,35 bilhões para US$ 15,45 bilhões. Apesar da alta, o valor estimado ainda é inferior aos US$ 15,65 bilhões projetados há quatro semanas. Para 2007, as previsões de fluxo de IED continuaram estáveis em US$ 16 bilhões pela segunda semana consecutiva. Há quatro semanas, estas projeções estavam em US$ 16,50 bilhões. Este texto foi atualizado às 10h36.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.